Pular para o conteúdo principal

Não Julgues Alguém por Quem Cristo Morreu

  Não Julgues Alguém por Quem Cristo Morreu O ensinamento de Jesus sobre o julgamento é profundo e relevante para todos nós. Em Mateus 7, encontramos palavras que nos convidam à reflexão e à mudança de atitude. Vamos explorar por que não devemos julgar os outros e como podemos aplicar esse princípio em nossa vida. I - O Mandamento de Não Julgar Em Mateus 7:1-2, Jesus diz: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão vocês.” Essas palavras são um lembrete poderoso de que nosso julgamento tem consequências. Quando apontamos os erros dos outros, estamos nos colocando em uma posição de juízes, e Deus nos julgará da mesma forma. II - A Trave no Próprio Olho Jesus continua em Mateus 7:3-5: “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu próprio olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o

Explicando Romanos 8:28 - LER MAIS

 

Explicando Romanos 8:28



E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”


Explicação:


Este é, provavelmente, um dos versículos mais conhecidos da Bíblia! Muita gente, entretanto, acredita que todas as coisas cooperam para o bem” é na perspectiva daquilo que me satisfaz, daquilo que o meu coração deseja, daquilo que eu planejo, mas não é bem assim.

Todo o capítulo 8 de Romanos tem grande importância pela centralidade do conteúdo que o apóstolo Paulo escreve: a história da salvação em Cristo e por Cristo.

O sentimento temporal de tudo vai ficar bem” não é algo novo. Os gregos e romanos o faziam com os seus filhos, dizendo a eles vai “ficar tudo bem”. Porém, o apóstolo Paulo comentou sobre isso, mas a diferença é que não era um sentimento temporal ou “positivista”. Paulo definiu que este “bem” vai muito além de qualquer riqueza, conforto ou bem-estar.

O pano de fundo deste versículo, é que o apóstolo Paulo está tratando de viver com ajuda e poder do Senhor, no meio da dor e sofrimento. Ele não era alheio à dor, pois também teve muitas experiências à beira da morte, passou por prisões, agressões e perseguições. Quando Paulo menciona o bem”, ele sabe que isto é um pré-requisito” para o Senhor continuar a trabalhar nele e todos os cristãos que, verdadeiramente, amam ao Senhor para serem mais parecidos com Cristo.

Por exemplo, você é assaltado por uma pessoa, logo é porque o Senhor vai dar algo muito melhor para você; se não passa numa prova para entrar numa determinada universidade, então é porque o Senhor vai abrir uma porta numa universidade muito melhor, etc.

Não é esse tipo de compreensão e ensinamento que Paulo está falando, pois, não é o sentimento temporal, aquilo que é melhor para mim, segundo o meu entendimento do que é "bom" e compreensão das coisas. O propósito e plano do Senhor sempre será maior que qualquer pensamento ou sentimento humano.

Ao seguirmos a leitura para Romanos 8:29, percebemos que o Senhor chama os seus para um propósito: de sermos parecidos a Cristo e para que Cristo seja visto nas nossas vidas. O Senhor já nos destinou a isso, entretanto, Ele ainda está moldando a nossa vida para esta finalidade. (Filipenses 1:6).

Quando Paulo diz bem”, não significa apenas o nosso conforto, riqueza, saúde, bem-estar. É a conformidade a Jesus Cristo! Todas as coisas trabalham juntas” é justamente para lembrar e levar cada cristão à imagem de Jesus. Ele está radiante com isto, pois no original grego, é comparado a algo tão bom que é como se já tivesse ocorrido.

Tudo o que acontece na vida dos cristãos tem o objetivo de torná-los mais parecidos com o Cristo. Este é “bem”.

Mesmo quando há dor e sofrimento, temos uma resposta abençoadora e com esperança para as pessoas (Romanos 8:18). Evidentemente, que não enxergamos coisas positivas no meio à miséria, fome, desastres deste mundo, mas isto não é tudo, não é toda a realidade.

Há uma realidade, uma promessa da parte do Senhor que estaremos juntos com Ele na vida eterna. É real, verdadeiro, pois tudo que o Senhor promete, cumpre!

Portanto, o Senhor usa tudo e todos para nos fazer parecidos com Cristo. Mas se definirmos o que é “bom” enxergando apenas o que queremos ver, perdemos a explicação e aplicação deste texto que o apóstolo Paulo nos traz.

As coisas boas e ruins contribuíram para um "bem" muito superior, ligado à vida espiritual e eterna com Deus. Alguns exemplos dentro daquilo que vimos até aqui:

- Paulo, um grande servo do Senhor e, apesar de tudo que fez, orando ao Senhor, ainda assim Ele não retirou o espinho na carne (2 Coríntios 12:7-9). Esta foi a vontade de Deus na vida de Paulo, o “bem” do Senhor, apesar da nossa mente humana não compreender.

- Sadraque, Mesaque e Abede-Nego: três jovens que o Senhor abençoou, livrando eles da morte certa da fornalha. Eles foram lançados lá pelo rei Nabucodonosor (Daniel 3:26). O “bem” do Senhor aqui foi o livramento de uma morte terrível, na frente de reis pagãos e, mostrando como o Senhor é o todo poderoso!

- Daniel, outro servo do Senhor, também recebeu livramento de uma morte certa dentro da cova de leões ferozes (Daniel 6:22). O Senhor agiu e o “bem” aqui foi a libertação e livramento de Daniel.

- Moisés não entrou na terra prometida, pois o Senhor não permitiu que ele entrasse. Moisés queria muito entrar e ver a terra (Deuteronômio 3:25-26). Deus tinha outros planos, pois os planos do Senhor são maiores (Isaías 55:8-9).

- Estevão, outro servo do Senhor, foi apedrejado na frente de várias pessoas que perseguiam cristãos (Atos dos Apóstolos 7:59). Apesar de Estevão ser sido um grande homem de Deus, ele foi morto por causa do evangelho.

O Senhor opera em favor de cada cristão que ama a Ele, mesmo não sendo “bom” aos nossos olhos humanos. Ele sempre tem o melhor, podemos e devemos confiar plenamente Nele. Através da ação de Deus na nossa vida, em nosso favor, o Seu propósito e planos nunca serão frustrados (Salmos 18:30).



Fonte de consulta:

site: https://www.respostas.com.br/romanos-8-28/



Prof. Dr. Gustavo Maders de Oliveira

14 de setembro de 2022

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JANELA 10/40 – DESAFIO MISSIONÁRIO - LER MAIS

  JANELA 10/40 – DESAFIO MISSIONÁRIO O termo Janela 10/40 originou-se com Luis Bush, diretor internacional AD2000 & Beyond Movement durante a segunda Conferência de Lausanne, em julho de 1989. A Janela é uma faixa compreendida entre os paralelos 10º e 40º, acima da linha do Equador, onde vivem 97% das pessoas menos evangelizadas do mundo. Na Janela 10/40 vive o grupo de povos não alcançados, do ocidente da África até o ocidente da Ásia. São 64 nações mais “perdidas” do planeta. Corresponde a 3 bilhões e 200 milhões de pessoas que em sua maioria nunca ouviram o nome Jesus; 1/3 da superfície da terra e grande parte da população do planeta. A maioria dos pobres está lá. 9/10 da população mais pobre do planeta, que vive abaixo do nível da pobreza vive na Janela. Mais da metade da população do mundo jamais ouviu o nome Jesus. Isso deveria causar ojeriza na igreja, mas parece que não é a prioridade do Povo de Deus. Só 8% de todos os missionários estão na Janela 10/40. Por

AMAZÔNIA – O MAIOR DESAFIO MISSIONÁRIO NO BRASIL - LER MAIS

  AMAZÔNIA – O MAIOR DESAFIO MISSIONÁRIO  NO BRASIL A Amazônia é, indubitavelmente o maior desafio missionário existente no Brasil. Cobrindo 59% de todo o território nacional, a região elenca cinco grupos socioculturais menos evangelizados no Brasil: indígenas, quilombolas, ciganos, sertanejos e ribeirinhos. A respeito do segmento ribeirinho, há um grupo de 35 mil comunidades na Amazônia, das quais estima-se que 10 mil ainda não foram alcançadas pelo evangelho. Vinte e seis milhões de pessoas habitam a Amazônia Legal, sendo que 1 milhão nunca teve contato com o evangelho. Há mais de 40 iniciativas evangelizadoras na Amazônia Legal e a maioria das comunidades tradicionais num raio de 100 Km das principais cidades já foram alcançadas. Dentre as necessidades apontadas para o avanço do evangelho entre os ribeirinhos estão a conscientização da igreja brasileira, missionários bem treinados, com capacidade de leitura cultural adequada, formação de líderes locais e material peda

Cristo, o Centro da Bíblia

  Cristo, o Centro da Bíblia O Antigo Testamento descreve uma nação; o Novo descreve um homem. Jesus é o tema central da Bíblia, como você pode ver a seguir: A referência (nome) de Cristo em cada livro da Bíblia: Gênesis: O descendente da mulher (Gn 3:15); Êxodo: O cordeiro pascoal (Ex 12:5-13); Levítico: O sacrifício expiatório (Lv 4:14,21); Números: A rocha ferida (Nm 20:7-13); Deuteronômio: O profeta (Dt 18:15); Josué: O príncipe dos Exércitos do Senhor (Js 5:14); Juízes: O libertador (Ju 3:9); Rute: O remidor divino: (Rt 3:12); Samuel: O rei esperado (1 Sm 8:5); Reis: O rei prometido (1 Rs 4:34); Crônicas: O descendente de Davi (1 Cr 3:10); Esdras: O ensinador divino (Es 7:10); Neemias: O edificador (Ne 2:18,20); Ester: A providência divina (Et 4:14); Jó: O redentor que vive (Jó 19:25); Salmos: O nosso socorro e alegria (Sl 46:1); Provérbios: A sabedoria de Deus (Pv 8:22-36); Eclesiastes: O pregador perfeito (Ec 12:10); Cantares: O nosso amado (Ca 2.8); Isaías: O servo do Senhor (I