Pular para o conteúdo principal

Não Julgues Alguém por Quem Cristo Morreu

  Não Julgues Alguém por Quem Cristo Morreu O ensinamento de Jesus sobre o julgamento é profundo e relevante para todos nós. Em Mateus 7, encontramos palavras que nos convidam à reflexão e à mudança de atitude. Vamos explorar por que não devemos julgar os outros e como podemos aplicar esse princípio em nossa vida. I - O Mandamento de Não Julgar Em Mateus 7:1-2, Jesus diz: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão vocês.” Essas palavras são um lembrete poderoso de que nosso julgamento tem consequências. Quando apontamos os erros dos outros, estamos nos colocando em uma posição de juízes, e Deus nos julgará da mesma forma. II - A Trave no Próprio Olho Jesus continua em Mateus 7:3-5: “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu próprio olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o

Da Grande Comissão - Evangelismo Pessoal - LER MAIS

 

Da Grande Comissão - Evangelismo Pessoal


A Grande Comissão:

- Marcos 16:15

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." 

- Mateus 28: 19-20

"Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém!"


* Obs: percebam que o verbo "ir" está no imperativo "ide", portanto não é um convite, mas uma ordem.


Evangelismo pessoal


I – Método Direto - através de perguntas:

- Como está sua vida por dentro?

- Como está seu relacionamento com Deus?

- Você já recebeu em seu coração Jesus como seu salvador?

- Você se sente perdoado por Deus?

- Você crê na vida eterna?

- O que você acha da vida e da morte?

- Você crê na Bíblia?

- Como você entende a condenação e o inferno?

- Você gostaria que algo mudasse em sua vida?

- Você gostaria e receber algo de Deus?

- Você gostai de ter a experiência d uma vida com Jesus?

Obs: nem é preciso lembrar que o evangelista precisa ter resposta às perguntas, conduzindo ao Plano da Salvação*.


II – Método Indireto – aproveitando as oportunidades

Este é um método que é aplicado quando em dado momento surge uma oportunidade para que a Palavra de Deus possa ser anunciada – são situações simples que tornam propícias para pregação do Evangelho. Eis alguns exemplos:

- Felipe e o eunuco (At 8:26-38);

- Paulo no Aerópago em Atenas (At 17:16-34);

- A mulher samaritana (Jo 4:1-42); e

- O paralítico no tanque de Betesda (Jo 5:1-15).


* O Plano da Salvação:


Fundamental na evangelização é o conhecimento do Plano da Salvação. Este, é uma forma sistematizada de apresentar o evangelho, lidando com o problema do pecado, e do pecador.

Por exemplo, o sermão de Pedro em Pentecostes (At 2:38) “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão de vossos pecados (…). Nota-se o fator “pecado”.

Outro simples exemplo é o do ladrão na cruz (Lc 23:39-43). Um dos malfeitores reconheceu Jesus como o Messias e pediu que lembrasse dele no Reino de Deus; Jesus diz ”hoje mesmo estarás comigo no paraíso.” O malfeitor reconheceu sua situação e seu pecado, reconheceu Jesus como salvador, e Jesus lhe outorga naquele momento a salvação.

Creia, há poder na simplicidade! O evangelho é simples, não tente complicá-lo!

Se pudéssemos esquematizar o Plano da Salvação, ficaria assim:

1 – Deus criou o homem à sua imagem e semelhança;

2 – O homem pecou (desobediência no Éden), perdendo a vida eterna e sendo expulso do paraíso;

3 – O pecado separou o homem de Deus (um abismo);

4 – A consequência do pecado é a morte;

5 – Deus envia Seu Filho ao mundo para morrer pelos pecados dos homens (Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo);

6 – Ao pecador cabe reconhecer seu pecado, se arrepender, e aceitar que Jesus morreu na cruz pelos seus pecados (crer – fé) – devolvendo ao que crê a vida eterna.

Leia Gn 3 e Jo 3:16.


Características de quem evangeliza:

- Deve ser atencioso (falar menos e ouvir mais);

- Deve procurar ser simpático;

- Deve ser paciente (Tg 5:7);

- Deve evitar discussões (II Tm 2:24);

- Deve falar e responder com convicção;

- Deve falar de modo que possa ser compreendido facilmente (At 16:31);

- Deve ter grande conhecimento da Palavra de Deus;

- Deve enfatizar a importância de Jesus, nunca de doutrinas eclesiásticas;

- Deve ter um bom testemunho (moral para falar);

- Deve ter uma vida de oração;

- Deve incutir a certeza da salvação;

- Deve sempre mostrar salvação;

- Deve demonstrar ter uma fé confiante; e

- Deve mostrar a realidade da perdição e da condenação (Rm 3:23; 5:12).


Cuidado com os neófitos! Eles têm tanta ansiedade e vão querer evangelizar até Satanás…!


O Papel do Leigo1:

A expansão do evangelho e o crescimento do número de convertidos pelo mundo todo se deve, em muito, à pregação ou testemunho do leigo. A igreja deve investir em seus obreiros, com ou sem formação teológica. Seria fatal para a evangelização mundial se fosse deixado de lado a importância do leigo.

Há até uma ilustração que diz: é ovelha que gera ovelha; pastor com ovelha gera bode!


Textos apropriados para evangelização


Rm 3:23;

Ap 21:8;

Cl 2:16;

Hb 11:6;

Jo 3:3;

Lc 5:32;

Mt 10:32;

Mt 7:13;

Jo 5:39;

Mt 19:29;

I Jo 2:15;

Mt 6:33; e

Jo 3:16.


Evangelizando o religioso, as pessoas que aceitam tudo, o ateu e o evangelismo de massas


a) Religiosos: tenha muita paciência, ouça suas colocações e depois, com jeito, faça perguntas e apesente, com muito respeito, o Plano da Salvação;

b) Pessoas que aceitam tudo, na verdade não aceitam nada. Com muita paciência apresente o Plano da Salvação e ore por ela;

c) Ateus: apele para a integridade intelectual dele. Ninguém deseja ser intelectualmente desonesto, e use isso ao se favor. Desafie o ateu a ouvir e entender o Plano da Salvação. Nunca tente raciocinar dentro da esfera de conhecimento dele; você conhece a Bíblia e não perca o foco, use a Bíblia com autoridade; e

d) Evangelismo de massas: para atingir grandes grupos de uma única vez, é necessário muita organização e planejamento; uma cruzada evangelísticas deverá contar com pregadores preparados e eloquentes, e uma equipe e apoio em condições de catalogar as pessoas decididas, para futuras visitas e evangelismo pessoal, com vistas a integrar aquela pessoa ou família na igreja, na sua o em outra, dentro de cada contexto.


1Leigo: pessoa que não tem formação teológica formal (faculdade ou seminário).



Gustavo Maders de Oliveira - Th

20 de março de 2022.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JANELA 10/40 – DESAFIO MISSIONÁRIO - LER MAIS

  JANELA 10/40 – DESAFIO MISSIONÁRIO O termo Janela 10/40 originou-se com Luis Bush, diretor internacional AD2000 & Beyond Movement durante a segunda Conferência de Lausanne, em julho de 1989. A Janela é uma faixa compreendida entre os paralelos 10º e 40º, acima da linha do Equador, onde vivem 97% das pessoas menos evangelizadas do mundo. Na Janela 10/40 vive o grupo de povos não alcançados, do ocidente da África até o ocidente da Ásia. São 64 nações mais “perdidas” do planeta. Corresponde a 3 bilhões e 200 milhões de pessoas que em sua maioria nunca ouviram o nome Jesus; 1/3 da superfície da terra e grande parte da população do planeta. A maioria dos pobres está lá. 9/10 da população mais pobre do planeta, que vive abaixo do nível da pobreza vive na Janela. Mais da metade da população do mundo jamais ouviu o nome Jesus. Isso deveria causar ojeriza na igreja, mas parece que não é a prioridade do Povo de Deus. Só 8% de todos os missionários estão na Janela 10/40. Por

AMAZÔNIA – O MAIOR DESAFIO MISSIONÁRIO NO BRASIL - LER MAIS

  AMAZÔNIA – O MAIOR DESAFIO MISSIONÁRIO  NO BRASIL A Amazônia é, indubitavelmente o maior desafio missionário existente no Brasil. Cobrindo 59% de todo o território nacional, a região elenca cinco grupos socioculturais menos evangelizados no Brasil: indígenas, quilombolas, ciganos, sertanejos e ribeirinhos. A respeito do segmento ribeirinho, há um grupo de 35 mil comunidades na Amazônia, das quais estima-se que 10 mil ainda não foram alcançadas pelo evangelho. Vinte e seis milhões de pessoas habitam a Amazônia Legal, sendo que 1 milhão nunca teve contato com o evangelho. Há mais de 40 iniciativas evangelizadoras na Amazônia Legal e a maioria das comunidades tradicionais num raio de 100 Km das principais cidades já foram alcançadas. Dentre as necessidades apontadas para o avanço do evangelho entre os ribeirinhos estão a conscientização da igreja brasileira, missionários bem treinados, com capacidade de leitura cultural adequada, formação de líderes locais e material peda

Cristo, o Centro da Bíblia

  Cristo, o Centro da Bíblia O Antigo Testamento descreve uma nação; o Novo descreve um homem. Jesus é o tema central da Bíblia, como você pode ver a seguir: A referência (nome) de Cristo em cada livro da Bíblia: Gênesis: O descendente da mulher (Gn 3:15); Êxodo: O cordeiro pascoal (Ex 12:5-13); Levítico: O sacrifício expiatório (Lv 4:14,21); Números: A rocha ferida (Nm 20:7-13); Deuteronômio: O profeta (Dt 18:15); Josué: O príncipe dos Exércitos do Senhor (Js 5:14); Juízes: O libertador (Ju 3:9); Rute: O remidor divino: (Rt 3:12); Samuel: O rei esperado (1 Sm 8:5); Reis: O rei prometido (1 Rs 4:34); Crônicas: O descendente de Davi (1 Cr 3:10); Esdras: O ensinador divino (Es 7:10); Neemias: O edificador (Ne 2:18,20); Ester: A providência divina (Et 4:14); Jó: O redentor que vive (Jó 19:25); Salmos: O nosso socorro e alegria (Sl 46:1); Provérbios: A sabedoria de Deus (Pv 8:22-36); Eclesiastes: O pregador perfeito (Ec 12:10); Cantares: O nosso amado (Ca 2.8); Isaías: O servo do Senhor (I